domingo, 25 de dezembro de 2011


És um senhor tão bonito
Quanto a cara do meu filho
Tempo tempo tempo tempo
Vou te fazer um pedido
Tempo tempo tempo tempo...

Compositor de destinos
Tambor de todos os rítmos
Tempo tempo tempo tempo
Entro num acordo contigo
Tempo tempo tempo tempo...

Por seres tão inventivo
E pareceres contínuo
Tempo tempo tempo tempo
És um dos deuses mais lindos
Tempo tempo tempo tempo...

Que sejas ainda mais vivo
No som do meu estribilho
Tempo tempo tempo tempo
Ouve bem o que te digo
Tempo tempo tempo tempo...

Peço-te o prazer legítimo
E o movimento preciso
Tempo tempo tempo tempo
Quando o tempo for propício
Tempo tempo tempo tempo...

De modo que o meu espírito
Ganhe um brilho definido
Tempo tempo tempo tempo
E eu espalhe benefícios
Tempo tempo tempo tempo...

O que usaremos prá isso
Fica guardado em sigilo
Tempo tempo tempo tempo
Apenas contigo e comigo
Tempo tempo tempo tempo...

E quando eu tiver saído
Para fora do teu círculo
Tempo tempo tempo tempo
Não serei nem terás sido
Tempo tempo tempo tempo...

Ainda assim acredito
Ser possível reunirmo-nos
Tempo tempo tempo tempo
Num outro nível de vínculo
Tempo tempo tempo tempo...

Portanto peço-te aquilo
E te ofereço elogios
Tempo tempo tempo tempo
Nas rimas do meu estilo
Tempo tempo tempo tempo...

sábado, 12 de novembro de 2011

Tempo Tempo Tempo

A vida passa tão depressa que nem posso mais
contar as horas...
Tão depressa que as lembranças quase se apagam da memória,
Mas numa rapidez que eu e só eu sei o quanto no passado estou.
E o tanto de mim que lá ficou...
Olhando pra mim aqui, agora, pensando: que tempo é esse que passou e não me carregou?
Tenho Saudades de mim, de tudo em mim... Saudades...

sábado, 18 de junho de 2011

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Onde a Lua se esconde?


Quando é dia sabe? o que será que a lua faz?
pq eu estou vivendo dias constantes... nada de noites enluaradas,
nem daquelas que parecem só um sorriso minúsculo
nem um lampejo de luz entre as nuvens que insistem em fazer da minha rotina constante,
enquanto eu prefiro mar, preciso de mar, de ondas, barulhos, mudanças...
Eu quero céu, mar e luz da lua...

sábado, 30 de abril de 2011

Anestesia


É que ando as voltas com meus sentimentos.
Pareço ser tão cruel quando vejo a minha verdade:
Dissimulada fria e calculista...
E não posso colocar freios na minha condição sarcástica e indiferente.
Preciso sentir de novo a minha alma queimar de arrependimento, Tenho que sentir alguma emoção, que seja raiva que seja qualquer ilusão capaz de tirar as lágrimas presas tão dentro de mim... Sentir qualquer dor que me faça gritar... Minhas dores já são insignificantes perto da minha condição inerte.
Queria poder chorar de sorrir ao invés de sorrir por sofrer.

domingo, 3 de abril de 2011

Eu vou embora...



Eu quero ver o Mar...

sábado, 5 de março de 2011

domingo, 23 de janeiro de 2011


"Certa vez li que, proporcionalmente, a superfície da terra é mais lisa do que uma bola de bilhar. As alturas do Monte Evereste e as profundezas do Oceano Pacífico são muito impressionantes para aqueles que vivem neste planeta. Mas vistas de Andrômeda, ou mesmo de Marte, essas diferenças não fazem a menor diferença. É assim que agora vejo as mesquinhas diferenças comportamentais entre um grupo cristão e outro. Comparadas com um Deus santo e perfeito, o mais elevado Evereste de regras não passa de um montículo de terra. Você não pode obter a aceitação de Deus escalando; tem de recebê-la como um presente" .
"Rejeitei a igreja durante algum tempo porque encontrei bem pouca graça ali. Voltei porque não descobri graça em nenhum outro lugar".
Philip Yancey

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Sei lá...

Eu nunca pensei que um dia me sentiria assim...
existem sentimentos impossíveis de se descrever,
até porque eles são um tanto mais intensos e
desconexos das palavras que lhes são determinadas.
É assim que me sinto hoje! De maneira que apesar desse
sentir, eu ainda estou surpresa por tamanho sentimento...
É com isso que preciso me suportar.